Evolução dos Sistemas de Segurança Eletronica

Histórico dos Sistemas de Segurança e Cronologia

Ao longo do tempo podemos observar o desenvolvimento de inúmeros sistemas de segurança afim de atender as necessidades de todos nas mais variadas situações.Porém os sistemas que mais se desenvolveram, pela própria tecnologia foram, sem dúvidas os eletrônicos e T.I (tecnologia da informação).Obviamente hoje tudo se integra e se une a WEB.Podemos não só monitorar por imagens nossa casa remotamente, de outra cidade ou país, como podemos ascender as luzes de casa, abrir portas, cozinhar, fazer o que nossa imaginação mandar, desde que estejamos dispostos, é claro a bancar financeiramente tal projeto.

O que nos interessa é saber na área de segurança eletrônica como ocorreu isso para poder oferecer aos nossos clientes a solução mais interessante e adequada para ele.As vezes a mais econômica, as vezes a mais específica mais sempre demonstrando que conhecemos o assunto e não deixando de oferecer opções.

Ao surgirem às primeiras centrais de alarmes eletrônicos podíamos observar temporizadores eletrônicos que se não fossem desligados ativavam uma sirene a fim de denunciar um intruso. Logo em seguida isso foi ampliado para um conjunto de no mínimo três temporizadores atuando em seqüência onde havia o tempo de saída do ambiente, o tempo de entrada para desligar o sistema e o tempo de disparo quando o local era violado. Paralelamente foram introduzidos nos sistema os controles remotos então não eram mais necessários os tempos de entrada e saída.Os sensores e sirenes foram se aperfeiçoando e novas tecnologias surgiram, a piezo eletricidade introduzidas nas sirenes, os sensores infra-vermelhos se subdividiram entre internos, externos e semiexternos e se mesclaram com o de microndas.Os sensores magnéticos pouco evoluíram.Surgiram também os sensores de barreira ou feixe óptico onde há um emissor e um receptor.O primeiro emite um feixe óptico infravermelho produzido por um LED e tem seu foco controlado por uma lente convergente, o segundo recebe este sinal e o “lê” através de outro fotodiodo, quando o feixe é interrompido o receptor informa a central.Também surgiram os sensores de gás (para denunciar o vazamento) e incêndio (que detecta fumaça) ambos com a mesma função dos demais alterar em caso específico a leitura de um valor resistivo previamente determinado.Lembre-se que no inicio a 20 anos atrás os sensores eram meros interruptores ligados a temporizadores…Hoje também podemos contar com sensores sonoros de quebra de vidro, ultra som, pendulo com mercúrio liquido,vibração, etc…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *